André Giusti - foto: Luana Lleras
voltar para o início do blog

A necessidade de se assistir a O Vendedor de Sonhos

A crítica desceu o pau, mas acho que O Vendedor de Sonhos, do diretor Jayme Bom Jardim, é um filme necessário. Como cinema, deixa realmente a desejar. Há buracos no roteiro e saltos na história, mas que acabam relevados por causa da mensagem. Porque, lá pelo meio do filme, você enxerga que o que vale [...]

Só vim pra dançar Cast

Só vim pra dançar Cast

A crítica desceu o pau, mas acho que O Vendedor de Sonhos, do diretor Jayme Bom Jardim, é um filme necessário.

Como cinema, deixa realmente a desejar. Há buracos no roteiro e saltos na história, mas que acabam relevados por causa da mensagem.

Porque, lá pelo meio do filme, você enxerga que o que vale ali é a mensagem, e não o cinema.

Na história – realmente fantasiosa, como pregam os críticos – os personagens de Dan Stulbach e César Troncoso chamam a atenção para o que nos separa de quem amamos, para o que nos mata todos os dias, nos deixando hipocritamente vivos.

É um filme que denuncia o sistema de uma forma até óbvia, mas acho que precisa ser assim mesmo, porque o sistema está alimentando em nós mazelas, que embora nítidas, nós não estamos conseguindo detectar.

Aliás, desconfio que parte do desprezo da crítica (que está inserida na mídia, é sempre bom lembrar) vem justamente dessa cutucada forte que o filme dá no sistema capitalista.

Vá ao cinema assistir a O Vendedor de Sonhos. Releve o filme, preste atenção na mensagem.

 

Tags:

Gostou, compartilhe:

Comentário (1)

  1. Ana Maria -

    Concordo com você, André! O filme vale a pena pela mensagem e também pelos atores. É sempre bom reforçar valores que realmente importam nessa nossa vida, antes que seja tarde demais…

Deixe o seu comentário!