André Giusti - foto: Luana Lleras
voltar para o início do site

Não pense mais naquela casa que você compraria com tantas salas e varandas viradas pro sol e pra lua pro dia e pra noite. Talvez você não tenha mais o carro prateado computadorizado que quase dirige por você mesmo. Deixe pra lá a viagem de dois meses através de montanhas azuis e plácidos lagos gelados [...]

O Futuro a quem Pertence

Não pense mais naquela casa que você compraria com tantas salas e varandas viradas pro sol e pra lua pro dia e pra noite.

Talvez você não tenha mais o carro prateado computadorizado que quase dirige por você mesmo.

Deixe pra lá a viagem de dois meses através de montanhas azuis e plácidos lagos gelados em algum paraíso que por ventura ainda exista no planeta caos.

Não projete mais tua velhice sossegada respirando em paz cuidando de netos mal educados.

Desde que as paredes ruíram e a viga principal te esmagou a cabeça e te roubaram todas as roupas, o que te resta é viver um dia a cada dia.
*
Do livro Os filmes em que morremos de amor (Inédito)

escombros2