André Giusti - foto: Luana Lleras
voltar para o início do blog

O medo de ficar cego depois de adulto

Uma vez ouvi de um cego que perdera a visão aos 20 e tantos anos: – Eu preferia ter nascido cego, nunca ter enxergado. É duro conhecer a luz e depois perdê-la. Em que pese a necessidade de qualquer um, independentemente de qual seja nossa ideologia e posição política, ser investigado e punido se houver [...]

Tela de Bruegel - Cego guiando cego

Tela de Bruegel – Cego guiando cego

Uma vez ouvi de um cego que perdera a visão aos 20 e tantos anos:

- Eu preferia ter nascido cego, nunca ter enxergado. É duro conhecer a luz e depois perdê-la.

Em que pese a necessidade de qualquer um, independentemente de qual seja nossa ideologia e posição política, ser investigado e punido se houver crime, penso que devemos nos preocupar antes com a nossa democracia.

O procedimento de um juiz e de procuradores, criticado não por leigos feito eu, mas por cátedras no direito, e a clara parcialidade na condução de uma investigação mostram que nossa democracia dá sinais de uma fraqueza que se julgava superada.

E uma democracia fragilizada rouba as forças também da Justiça. Justiça para punir também os fortes e poderosos.

Não tenho medo que a hipocrisia tucana, com seu cinismo de vestal grávida, volte ao poder. Acho que o povo já sacou que a farinha azul vem do mesmo saco da farinha vermelha.

O que me assusta é que o atual desejo irracional de “justiçamento” – pois se fosse racional seria de justiça verdadeira – conduza ao Planalto gente como Bolsonaro, que logo vai tratar de minar a democracia que o levou até lá.

Neste cenário, fortalecido pelo preconceito contra as chamadas minorias (minorias?), enxergo a certeza de ações concretas contra a liberdade de expressão.

É provável que nos tempos atuais, com o olhar vigilante dos direitos humanos, não mandem pro pau de arara e pra tomar choques nos testículos ou na vagina quem se opuser às atrocidades de uma ditadura eleita pelo voto popular.

Mas temo por perseguições diretas em forma de ações e mais ações numa Justiça enfraquecida, impetradas por aqueles que não sabem conviver com a opinião diversa.

Temo até mesmo perseguições veladas, na forma de demissões do serviço público, por exemplo (a ditadura cansou de fazer isso).

Muita gente perdeu a sanidade mental e a própria vida para que enxergássemos na claridade da democracia.

Tenho medo que nos tornemos cegos depois de adultos.

Tags:

Gostou, compartilhe:

Comentário (1)

  1. Sergio -

    Como dizem, a democracia não é perfeita, mas até agora não inventaram nada melhor. Lutemos, então, pela sua defesa!

Deixe o seu comentário!