André Giusti - foto: Luana Lleras
voltar para o início do blog

O Rock’ n Roll (graças a Deus) está vivo

Não sou crítico de música nem de literatura, mas de vez em quando arrisco uns pitacos e indico uns discos e uns livrinhos pra deixar a vida mais leve. Hoje a dica é sonora. Gostei muito, muito mesmo, do segundo disco da banda Commodities, lançado por esses dias nas plataformas digitais. Na verdade, pelo que [...]

commodities-behind-the-curtain_v2

Não sou crítico de música nem de literatura, mas de vez em quando arrisco uns pitacos e indico uns discos e uns livrinhos pra deixar a vida mais leve.

Hoje a dica é sonora.

Gostei muito, muito mesmo, do segundo disco da banda Commodities, lançado por esses dias nas plataformas digitais. Na verdade, pelo que li e conheço, a banda é basicamente o músico mineiro radicado em Brasília Raphael Rocha batendo escanteio e correndo para cabecear, ou seja, tocando boa parte dos instrumentos. Mas parece que de vez em quando aparece alguém para bater um lateral ou tiro de meta.

Se é trabalho de banda ou solo com cooperação, não importa. O fato é que Behind the curtain There Is Another Curtain me agradou e muito. Raphael Rocha usa efeitos para alcançar uma bela sonoridade em melodias agradáveis e ótimos arranjos instrumentais.

Para mim, ficam claras suas influências de Stereophonics. Foi fácil para mim sacar isso, pois uma vez o vi dizendo que gosta da banda, realmente uma das melhores dos últimos 20 anos. Mas há no disco também bastante de Oasis e até mesmo do mais recente disco (e muito bom também) de Noel Galangher, do qual , inclusive, falei outro dia.

Não há problema algum um artista mostrar que sofre influências. Até hoje mostro em meus livros que sou influenciado pelos autores que me fazem a cabeça.

Estava para escrever sobre a Commodities desde o primeiro disco, lançado em 2014, que me causou ótima impressão. Cumpri a tarefa agora, somente com o segundo, no qual a Commodities entrega de maneira eficiente a sua mercadoria.

A banda serve também para trazer esperança aos meus contemporâneos de que o Rock’ n Roll continua uma coisa viva, pulsando solto no cosmos e no caos.

Se a Commodities não traz nenhuma grande novidade em suas músicas, para mim também não há qualquer problema. Fazendo bem feito o que já conhecemos tá valendo muito e já é um grande motivo par escutar com atenção e prazer.

Tags:

Gostou, compartilhe:

Comentários (0)

Deixe o seu comentário!