André Giusti - foto: Luana Lleras
voltar para o início do blog

Patéticas como novelas mexicanas

Não sou o tipo de eleitor do Lula e da Dilma que brada aos quatro ventos que o mensalão jamais existiu. Tampouco uso e abuso do chavão pra lá de gasto de chamar, em todo e qualquer caso, a imprensa de golpista. Mas como homem de comunicação me preocupa o tratamento que a mídia dá [...]

atrizes
Não sou o tipo de eleitor do Lula e da Dilma que brada aos quatro ventos que o mensalão jamais existiu.

Tampouco uso e abuso do chavão pra lá de gasto de chamar, em todo e qualquer caso, a imprensa de golpista.

Mas como homem de comunicação me preocupa o tratamento que a mídia dá a determinados fatos, e sua omissão em relação a outros. E o que me aflige, ainda mais, é a opinião pública, cujo conceito pode ser vago e diverso, caminhando de acordo com o tratamento e com a omissão.

Incomoda-me, não como eleitor, mas como profissional da informação, por exemplo, a falta de empenho ou mesmo o silêncio da maioria dos veículos em relação ao escândalo do metrô paulista ou à ação por improbidade administrativa que o senador Aécio Neves responde, como réu, pelo desvio de mais de R$ 4 bi da saúde em Minas.

Quem não conhece o Brasil, pode, a partir do noticiário, pensar no mensalão como o marco zero da corrupção no país, quando, na verdade, foi um escândalo que não se voltou para o enriquecimento ilícito da maioria dos envolvidos, mas sim para a negação do PT a tudo que pregava ao aceitar fazer a política suja e centenária praticada por quem ele sempre combateu.

E hoje, ao abrir a internet, deparo com um grupo de atrizes globais vestindo luto pela decisão do STF, como se os anos interpretando papeis em novelas que distorcem a realidade brasileira lhes conferissem autoridade jurídica para dizer se está certa ou errada a decisão da maioria dos ministros.

Não digo que não tenham direito de protestar, mas por que nunca o fizeram contra a fome, o racismo, a exploração infantil e outras chagas desse pais do mensalão sim, mas também da obscura privatização das teles nos anos 90?

Será que só agora, em seu quinto século de descobrimento, o Brasil lhes deu motivos para que vestissem luto?

Chega a ser patético.

Patético feito uma novela mexicana mal dublada exibida pelo SBT.

Tags:

Gostou, compartilhe:

Comentários (3)

  1. André Giusti Autor do post -

    Obrigado, Adalberto! Abração!

  2. Adalberto Malheiro -

    Concordo com você Giusti! Este protesto fora encomendado pelos patrões destas senhoras.

  3. Celso -

    Não vi nada de estranho nessa postagem das atrizes da Globo, aliás, louvo-as pela coragem de mostrar a cara contra a tentativa de implantação de uma “República Bolivariana do Brasil”, ou uma imitação do ”Teatro dos horrores de Castro e Chávez”, como se esses dois fossem exemplos a serem seguidos pelo Brasil.
    É por esse seu comentário, por esse seu posicionamento de sempre querer comentar algo sobre o que acontece, como se fosse o baluarte da opinião centrada e correta no Brasil, é que as pessoas de bem se sentem constrangidas e tornam-se apáticas e receosas de participarem de atos contra o que não consideram corretos.
    O “mensalão” não foi o marco zero da corrupção no Brasil, pois esta existe há bastante tempo, mas foi, sim, O MAIOR ato de corrupção que houve na história do Brasil, uma tentativa de um partido dominar, da forma mais mesquinha e ordinária, o voto dos nossos já não tão conscientes políticos, para acabar com uma possível oposição no Congresso Nacional, e obter sempre a maioria para fazer o que bem entendesse, como se fosse o “dono” do Brasil.
    E para tentar perpetuar-se no poder, usa de muitos ardis, seguindo o seu mestre Chávez e Castro, de infiltrar seus companheiros em todos os campos do poder, para que assim possa legitimar atitudes típicas de ditadores como se fossem atos democráticos embasados pela população.
    E revoltar-se contra isso não quer dizer abdicar-se de outros assuntos! Cobrar isso dessas atrizes, que tiveram essa coragem, é mostrar não conhecê-las, não estudar o assunto antes de atirar-se rapidamente à publicações incorretas. Isso dá a impressão de que vc quer chamar a atenção para você, e não para o real problema, como deveria ser.
    Louvo-as, sim, e incito as pessoas de bem a se manifestar, independente de críticas infundadas e inoportunas como o que vc postou.

Deixe o seu comentário!