André Giusti - foto: Luana Lleras
voltar para o início do blog

Som

Não quero o rádio ligado nem mesmo a TV sem som. Levante os vidros do carro feche as janelas dos fundos. Que não me chegue nenhum ruído de trânsito falatório no corredor choro de criança ou cachorro latindo. Preciso do silêncio do nada movendo-se no vácuo. Quero a mudez insolúvel das pedras. Preciso escutar os [...]

Não quero o rádio ligado

nem mesmo a TV sem som.

Levante os vidros do carro

feche as janelas dos fundos.

Que não me chegue nenhum

ruído de trânsito

falatório no corredor

choro de criança

ou

cachorro latindo.

Preciso do silêncio do nada

movendo-se no vácuo.

Quero a mudez insolúvel das pedras.

Preciso escutar os meus erros

os gritos de meus desatinos

e na exaustão de todos eles

finalmente ouvir a paz.

Tags:

Gostou, compartilhe:

Comentários (3)

  1. Daiane Garcez -

    Parabéns ! Muuuuuuuuito bom.

  2. Denise Giusti -

    Lindo, André! Me sinto assim muitas vezes, não consigo colocar prá fora! siLêncio!!!

  3. Henrique -

    Ah essa necessidade de gritar o silêncio e ouvir o ruído de nossos pensamentos rebatendo nas paredes do crânio…

Deixe o seu comentário!