André Giusti - foto: Luana Lleras
voltar para o início do blog

Um menino maluquinho de 30 anos

Por Alexandre Pilati*   Um dos grandes destaques da atual edição da Bienal do Livro de São Paulo é a centésima edição do mais famoso livro infantil da nova literatura brasileira:  O menino Maluquinho. A história do personagem começou durante essa mesma feira literária paulista. Em 1980, foi durante o evento que Ziraldo publicou o [...]

Por Alexandre Pilati*

 

Um dos grandes destaques da atual edição da Bienal do Livro de São Paulo é a centésima edição do mais famoso livro infantil da nova literatura brasileira:  O menino Maluquinho. A história do personagem começou durante essa mesma feira literária paulista. Em 1980, foi durante o evento que Ziraldo publicou o livro, com uma tiragem inicial de 5.000 exemplares. Antes de a Bienal daquele longínquo 1980 chegar ao fim, outras duas tiragens já haviam rodado, somando mais 10 mil exemplares. A soma, hoje, calcula-se em torno de 2,8 milhões de livros vendidos. É um fenômeno editorial que alia qualidade de texto e de desenho a uma ampla repercussão na mídia.

Para comemorar os trinta anos do personagem, a editora Melhoramentos — na qual Ziraldo já publicou mais de cem obras– o homenageia com uma edição de colecionador de 2.000 exemplares. O formato de luxo traz depoimentos de ícones como Ruth Rocha, Fernanda Montenegro e Zuenir Ventura e não será vendido, será apenas dado como presente pela editora e pelo autor. Uma versão mais simples, entretanto, deve chegar às livrarias, mas com a mesma cara que fez o Maluquinho ser sucesso entre crianças e adultos durante tanto tempo.

O segredo do sucesso do Menino Maluquinho

Um dos traços marcantes da narrativa infantil de Ziraldo é a forma simples com que trata de questões bastante complexas. No Menino maluquinho essa é uma característica determinante. O autor trata de assunto bastante complexos como a morte, a separação dos pais, o amor, a amizade, sem dar a tudo isso uma tonalidade chata de “texto pedagógico”. Nada é sonegado dos pequenos leitores. Eles têm acesso à vida de um menino comum, como qualquer outro, que vive a vida pela alegria de viver e um dia, como é natural, cresce e se torna um adulto feliz. O segredo do sucesso desse menino de 30 anos é, portanto, tratar o leitor infantil de igual pra igual, sem simplificar questões ou esconder problemas. Por isso e pelo talento do autor para o desenho, o livro já é um clássico da nossa literatura infantil.

Os novos meninos maluquinhos: O menino da lua e o menino da terra

Na Bienal de São Paulo, Ziraldo anunciou que vai prolongar a série Menino da Lua e lançou um dos volumes da série, chamado o menino da terra, sua mais nova criação na linhagem de meninos maluquinhos, por mais 10 livros. O autor, que está com 77 anos, promete lançar um livro por ano até terminar a coleção. No Menino da Lua, Ziraldo cria um mundo à parte e um grupo de personagens que brinca – de tudo que as crianças já brincaram – entre estrelas e planetas. O menino da lua e seus amigos formam uma turma de tirar qualquer um de órbita. Um momento único que esse contador de histórias, nunca tão singelo e doce, como agora, proporciona aos seus leitores, que são todas as crianças iguais aos meninos deste livro e, também, as que ainda existem no coração dos pais, dos professores, das tias, dos avós, da família inteira.

Cada um de seus leitores – novos e velhos – vai viajar aqui, mais uma vez, a bordo deste fantástico disco-voador que é o livro. E, certamente, com muita emoção neste que é pilotado por Ziraldo.

Eu e AlexandrePilati estamos no bate-papo literário na BandNews FM Brasília, 90,5, toda 2ª e 3ª feiras, às 16h51 e 11h31.

Tags:

Gostou, compartilhe:

Comentários (0)

Deixe o seu comentário!