André Giusti - foto: Luana Lleras
voltar para o início do blog

Panela para o que precisa de panela

Fico sabendo pelo portal Metrópoles, um bom site de notícias locais do Distrito Federal, que em determinada loja do mercado Oba os funcionários estão adulterando o prazo de validade de mercadorias perecíveis. Se por exemplo o suco de laranja vence hoje, o encarregado, com ordens superiores, vai lá e maquia a validade, para vencer amanhã. [...]

Fonte: objetosdedesejo.com

Fonte: objetosdedesejo.com

Fico sabendo pelo portal Metrópoles, um bom site de notícias locais do Distrito Federal, que em determinada loja do mercado Oba os funcionários estão adulterando o prazo de validade de mercadorias perecíveis.

Se por exemplo o suco de laranja vence hoje, o encarregado, com ordens superiores, vai lá e maquia a validade, para vencer amanhã.

O Oba é um mercado que além de verdurão e açougue tenta também ser adega e rotisserie. O que consegue, de fato, é cobrar mais caro do que os outros. É o típico lugar em que os clientes se acham pessoas importantes porque fazem compras ali.

Não sou disso, mas mandei uma mensagem pro site contando que poucos meses atrás, em outra loja do mesmo mercado, funcionários me confirmaram que um lote de vinho estava sem etiqueta de preço porque eles iriam remarcar ainda naquele dia. Ou seja, iriam colocar preço novo num vinho comprado junto ao distribuidor por preço antigo.

Uma leitora comentou minha informação dizendo que isso é normal em qualquer país do mundo, começando pelo mercadinho da esquina.

E eu digo que isso é desonestidade em qualquer país do mundo. Começando pelo mercadinho da esquina.

E é também um ótimo motivo (e real) para se bater panela.

Tags:

Gostou, compartilhe:

Comentário (1)

  1. Sergio -

    Deveria ser, André. Mas a nossa classe média paneleira ainda não atingiu esse nível de discernimento.

Deixe o seu comentário!